Superintendência da Pesca no Rio Grande do Norte, apresenta Plano Safra da Pesca e Aquicultura em Tibau

Nesta quinta-feira (10) Livânia Frizon da Superintendência da Pesca no Rio Grande do Norte, realizou a apresentação do Plano Safra da Pesca e Aqüicultura nas dependências da Câmara Municipal de Tibau, estavam presentes o Prefeito Naldinho, o Vereador Luiz da Luz – Presidente da Câmara Municipal, além dos Secretários Municipais e Gerentes da administração municipal que ouviram as informações do programa inédito do Governo Federal para estimular o desenvolvimento do setor por meio de linhas de crédito para o aumento de produção e a geração de emprego e renda. Serão disponibilizados mais de R$ 4 bilhões em crédito e investimentos para fortalecer o setor pesqueiro, tornando-o mais produtivo, competitivo, inclusivo e sustentável. Para isso é preciso aprimorar técnicas de cultivo e manuseio, ampliar a assistência técnica, modernizar equipamentos, investir em pesquisa e garantir mais estrutura à cadeia produtiva.

O Plano Safra é destinado a todos os envolvidos nos processos de pesca, exploração, cultivo, conservação, processamento, transporte, comercialização e pesquisa dos recursos pesqueiros. As linhas de crédito serão oferecidas a pequenos, médios e grandes pescadores e aquicultores, com benefícios exclusivos para cada tipo de produtor: familiares, cooperativas, pescadoras, jovens, marisqueiras.

Você pode aplicar os recursos do Plano Safra da Pesca e Aqüicultura desde o investimento no seu projeto até a comercialização do pescado.

Investimento: os recursos podem ser aplicados na conservação e aquisição de embarcações e equipamentos; beneficiamento ou industrialização; e incremento da produção. Se você é pescador artesanal, tem a chance de aumentar sua renda, tornando-se aquicultor. Se for agricultor familiar, pode aproveitar estruturas de irrigação para produção de pescado. E para você, que é formado em pesca e aqüicultura, está disponível uma linha de financiamento para iniciar empreendimentos.

Custeio: captura e cultivo; conservação de embarcações e equipamentos; conservação, beneficiamento ou industrialização.

Comercialização: recursos para despesas posteriores à captura e produção próprias, como armazenamento, seguro, manipulação, preservação, acondicionamento, impostos, fretes e carretos.

Os interessados devem ter em mãos os documentos pessoais (identidade, CPF e certidão de casamento), o registro geral da atividade pesqueira - RGP (RGP de pescador, RGP de aquicultor), a declaração de aptidão ao PRONAF - DAP e a proposta de crédito. Dependendo do caso, será necessário ainda o projeto elaborado pela entidade prestadora dos serviços de assistência técnica e extensão rural (ATER).



Mais informações acesse: PLANO SAFRA

Cartilha do Projeto: CLIQUE PARA ABRIR